Edmo Neves denuncia problemas no Lixão de Vitória

Notícias Comentários

13009897_10153674318888720_1832673618_o

O vereador de Vitória de Santo Antão (Mata Sul a 50 KM do Recife) Professor Edmo Neves (PMN) constatou graves problemas no lixão do município. O parlamentar fez algumas visitas ao local e contratou um veículo aéreo não tripulado, conhecido popularmente como Drone, para produzir imagens que mostrem a real situação do local.

“É uma tecnologia simples e que pode ser mais bem aproveitada no nosso município que só para fazer imagens de shows e festas, como costumava acontecer em Vitória. Nós já mostramos como o drone é eficiente para mapear problemas quando o aparelho para fazer o mapeamento da dengue em alguns bairros da nossa cidade”, explicou o Professor Edmo.

Sobrevoando o lixão foi possível ver barracos com famílias morando por lá, inclusive crianças vivendo no lixão, convivendo com animais e insetos de dia e de noite. Os catadores não usam equipamento de proteção e são submetidos a todo o tipo de adversidades e correm o risco de se acidentarem ou se contaminarem.

Ainda foi verificada a prática de queimadas e o mais grave a drenagem do chorume – um líquido contaminado, resultado do apodrecimento de matérias orgânicas – que escorre livremente sendo drenando para o subsolo e contaminando a água. O vídeo com os problemas do lixão está disponível, desde esta segunda-feira na Fan Page do Professor Edmo (facebook.com/Professor.Edmo.Neves).

RESULTADOS – O vídeo feito a partir das imagens captadas com o drone que mostrou vários focos de reprodução do mosquito, inclusive com destaque a um dos prédios da Prefeitura com milhares de pneus expostos à chuva, surtiu muito efeito. Depois que ele foi publicado no perfil do professor Edmo, no Facebook, rendeu mais de 164 mil visualizações e 640 compartilhamentos. O vídeo gerou também a curiosidade de veículos de comunicação da capital, como a TV Jornal, a TV Globo, a rádio CBN, o Diário de Pernambuco e o Jornal do Commercio que produziram reportagens do problema que apresentamos. “Acreditamos que depois de tamanha repercussão a prefeitura não iria continuar na inercia que estava com relação ao combate aos focos do mosquito Aedes Aegypti. Tanto que só depois da nossa iniciativa é que começaram alguns mutirões isolados em algumas comunidades”, comemorou o Professor Edmo Neves.